Arquivo da tag: iniciativa privada

Greves e Copa do Mundo de Futebol – Tudo a ver

grevecopa

O estouro de greves pelo país às vésperas da Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 não é de se estranhar. O pós-doutor em economia pela University of Alabama, Adolfo Sachsida, avisou em 2013 que haveria tais greves. Mas por quê?

Ora, estamos próximos à Copa do Mundo, que consumiu bilhões do dinheiro dos pagadores de impostos, tem obras inacabadas e outras que sequer saíram do papel, Estádios “prontos” de última hora, nenhum investimento público em transportes, mobilidade e estrutura e (o que é pior) impossibilitam a iniciativa privada de fazer tais investimentos, pois sabem que são incompetentes para tal, que essa incompetência é clara para a maioria dos cidadãos, que a iniciativa privada faz melhor, gastando menos e sem socializar os custos e prejuízos e que tudo isso aumentaria ainda mais o mico. Resumindo, o Estado detesta e teme a concorrência, pois sabe que ela escancara sua ineficiência frente à eficiência da iniciativa privada.

Sabendo de tudo isso, por que os funcionários públicos e de serviços considerados essenciais como transportes, eletricidade, etc, não fariam greves? É a oportunidade perfeita para chantagear o Estado: “ou nos atendem em nossas reivindicações, ou os serviços continuarão paralisados e o mico da Copa será ainda maior”, ou então: “ou nos atendem, ou paralisaremos os serviços durante a Copa”. Qual a opção que o Estado escolherá?

Além dos bilhões despejados irresponsavelmente em um evento que poderia ser muito melhor organizado pela iniciativa privada, sem a socialização dos prejuízos aos pagadores de impostos. Tanto é verdade que nas edições onde a responsável foi a iniciativa privada, as obras foram concluídas muito antes da Copa, como na França em 1998 e na Alemanha em 2006, com custos menores que os nossos.

Não bastassem os custos já inicialmente altos, houve aumento significativo dos gastos, que em alguns casos alcançaram os 166% de aumento em relação ao projeto inicial (o caso da obra aeroportuária em Salvador/BA, que de R$30 milhões subiu para R$79 milhões).

Portanto, entre aceitar as demandas dos grevistas, ou recusá-las e ver a Copa do Mundo de Futebol ainda mais prejudicada pela falta dos serviços, qual será a decisão do Estado? No fim, os pagadores de impostos novamente arcarão com o prejuízo gerado pelo oportunismo daqueles que sustentamos e da estupidez de um governo que se colocou na posição de refém desses indivíduos. Como todo custo extra impacta no orçamento, não será surpresa se houver aumento de impostos.

No fim de tudo, pagamos pelas obras inflacionadas, pela irresponsabilidade, ineficiência e incompetência do Estado e pelo oportunismo de grevistas que se aproveitam da situação para aumentar os próprios ganhos e nos prestarem serviços inferiores e mais caros.

Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista

Fontes:

Vídeo do Adolfo Sachsida – https://www.youtube.com/watch?v=-5R59vjoNZU

Tribuna da Bahia – http://www.tribunadabahia.com.br/2014/01/13/150-dias-da-copa-custo-de-obras-sobe-ate-166-tres-estadios-estao-atrasados

O Globo – http://oglobo.globo.com/economia/aeroviarios-brasileiros-ameacam-greve-durante-copa-do-mundo-12465739

Folha de São Paulo – http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/fj1207201004.htm

Estadão – http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,alemanha-tera-seu-proprio-centro-de-treinamento-para-a-copa-no-brasil,1108130,0.htm

G1 – http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/05/primeira-manha-apos-greve-de-onibus-e-tranquila-para-passageiros-no-rio.html

Estadão / Brasil – http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,tj-decreta-ilegalidade-da-greve-de-bombeiros-e-pm-em-pernambuco,1167021,0.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

As falsas promessas da Ministra Dilma Rousseff

Dilma_Rousseff-Ministra

Antes de ser presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT) já estava acostumada a fazer promessas que não sabia se poderia cumprir, ou que sabia que não poderia. A prova disto está em suas falas em 03 de junho de 2009, publicadas pelo portal G1.

Nessa matéria, Dilma (então Ministra da Casa Civil) promete que o trem bala estará pronto pelo menos no trecho São Paulo – Rio de Janeiro e funcionará antes da Copa do Mundo de Futebol de 2014. Também diz que o Governo Federal não investirá em Estádios, sendo que todo investimento será proporcionado pela iniciativa privada (note-se que o Governo Federal construiu Estádio e investiu por decisão própria na reforma de Estádios, sem permitir as menores condições à iniciativa privada de atuar nessa área). Por fim, também disse que os “investimentos” da União seriam exclusivamente para mobilidade urbana.

Bem, estamos em 2014, sem trem bala, que mesmo sem sair do papel torrou até 2013 R$1 bilhão e seu custo que inicialmente seria de R$12 bilhões já está estimado em R$38 bilhões. São R$38 bilhões para construir uma linha férrea e um trem que vá de Campinas ao Rio de Janeiro. Mas será “muito rápido”. Esse valor é correspondente a mais da metade do orçamento do Ministério da Educação em 2013 (R$73 bilhões). Claro, que é um dinheiro que gastariam durante alguns anos, enquanto o MEC gasta isso em um ano, mas não deixa de ser absurdo gastáramos mais de metade do orçamento de um ano do Governo Federal para a Educação na construção de um trem bala. Então esse dinheiro deveria ser revertido para a Educação? Não! Deveria não ser gastado e entrar na redução dos gastos públicos que impulsionam a dívida à estratosfera e servem de desculpa para o Estado aumentar impostos e intervencionismo no Brasil.

Mas voltando ao tema! Só o Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), custou mais de R$1 bilhão aos cofres públicos. Onde está o dinheiro da iniciativa privada? Também, que empresa é louca o suficiente para investir o próprio dinheiro na construção da Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), aonde a média de público do campeonato local mal chega aos 2 mil pagantes? Que empresário toparia investir em Estádios no Brasil, tendo que enfrentar uma série de regulamentações que atrasam as obras e elevam os custos, além de aguentar o Estado dizendo como deve gerir seu empreendimento? Ainda mais visando um evento e nada mais!

Se fosse um dono de clube/time, como no caso do Gonçalense, do Rio de Janeiro, que terá um Estádio padrão FIFA, para 43 mil pessoas, com instalações modernas e mais seguro que os da Copa do Mundo, por um custo provável de no máximo R$100 milhões (pois são três fases, sendo que já estão na segunda e nela serão investidos R$30 milhões, logo, na terceira não deve haver um investimento que equipare ao custo dos Estádio da Copa e que sequer chegue ou ultrapasse muito os R$100 milhões), tudo financiado pela iniciativa privada, aí valeria a pena investir e arcar com as burocracia, regulamentações, etc, pois há um projeto sério, visando o longo prazo e não apenas um evento que dura um mês.

Quanto à mobilidade urbana… Oras, acredito que uma breve análise da experiência diária de cada brasileiro para se locomover, principalmente nas grandes cidades, pode responder bem esta questão e mostrar que é mais uma promessa não cumprida por Dilma (que disse ser de responsabilidade de Estado e Municípios apresentar os projetos à União, ora, prometeu resultados pelos outros sem nem ter projetos em mãos?). Na dúvida, pergunte aos cariocas e fluminenses que ficarão sem ônibus nos dias 14 e 15 de maio de 2014.

É, Dilma! Aceita um conselho? Não faça promessas que não sabe se poderá cumprir, muito menos as que sabe que não conseguirá cumprir, pois ao ter a primeira atitude mostra que és despreparada e incompetente e ao ter a segunda demonstra mal caratismo e pouco caso com o cidadão brasileiro, que é extorquido mediante coerção estatal a qual chama de impostos e enganado por falsas promessas ou mentiras propositais.

Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista

Fontes:

G1 (03/06/2009) –http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1181261-9356,00.html

O Globo (13/08/2013) – http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2013/08/13/trem-bala-triplicou-de-preco-desde-que-comecou-ser-pensado-506763.asp

Opinião & Notícia – http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/trem-bala-brasileiro-e-o-mais-lento-do-mundo-nao-sai-do-papel/

Folha de São Paulo (03/07/2013) – http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/07/1305425-trem-bala-custa-o-mesmo-que-novos-aeroportos-e-rodovia-entre-rj-e-sp-diz-epl.shtml

Agência Brasil – http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-05/rodoviarios-farao-greve-de-48-horas-partir-de-amanha

Globo Esporte – http://globoesporte.globo.com/rj/serra-lagos-norte/noticia/2014/05/clube-da-serie-c-do-rio-apresenta-projeto-de-estadio-para-43-mil-pessoas.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=globoesportecom

UOL Esporte – http://copadomundo.uol.com.br/cidades-sede-e-estadios/2014/estadios/

Portal do Ministério da Educação (MEC) – Despesas e Orçamento 2013 –http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17656&Itemid=1168

Portal da Transparência do Governo Federal – Gastos Diretos por Órgão Executor 2013 – http://www.portaldatransparencia.gov.br/PortalComprasDiretasOEOrgaoSuperior.asp?Ano=2013&Valor=10146405185972#

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Iniciativa privada dá outra lição ao Estado

sao_goncalo

Um time da série c do campeonato carioca está com projeto para construir um estádio de última geração com capacidade para 43 mil pessoas. Estádio daqueles que poderiam receber um jogo de Copa do Mundo, devido sua magnífica estrutura (ao menos no papel).

Qual o custo estimado? Na segunda etapa, de R$30 milhões, mas a obra total não deve quiçá chegar aos R$100 milhões, devido ao volume de investimentos necessários estimados para cada etapa. Isso mesmo, enquanto os Estádios com investimento público, construídos e/ou reformados para a Copa do Mundo, ultrapassam os R$1,5 bilhão (R$1.566 bilhão aproximadamente), que é o caso do Estádio Mané Garrincha, que tem capacidade para 70 mil pessoas, o Estádio do Gonçalense F.C. custará “apenas” R$100 milhões.

“Ah, mas o Mané Garrincha tem capacidade muito maior e a área é maior também”. Ok! Só que a Arena Pantanal (um estádio construído em Cuiabá, Mato Grosso, onde a média de público em jogos locais sequer passa dos 2 mil torcedores) possuirá 42.968 lugares e o custo final será 17,5 vezes maior, ou seja, de R$525 milhões do dinheiro dos pagadores de impostos. O que esperar quando deixamos nas mãos do Estado prover a construção de Estádios para um evento esportivo? O Estado é incapaz de gerir os escassos recursos que adquiriu através da coerção conhecida como imposto e ainda mais incapaz de alocar tais recursos racionalmente, pois não está sob as leis de mercado, logo, não precisa se preocupar com o sistema de lucros e prejuízos, o que impossibilita o cálculo econômico e impede que se mensure qual a demanda e o quanto é necessário ofertar para supri-la, logo, também não consegue calcular quanto precisa investir.

Fora isso, há sempre a corrupção, superfaturamentos, contratos suspeitos e tutti quanti podemos imaginar. A ineficiência já estava comprovada pelos atrasos nas obras, agora, fica ainda mais escancarada.

O estádio do Gonçalense F.C., clube comprado pelo empresário Joacir Thomaz, dono da Macroaction Construtora, terá aproximadamente 43 mil lugares e será entregue completo em 2017, segundo o projeto apresentado. A construção ocorrerá em três etapas, a primeira que entregará o estádio (que será batizado de Catarinão) com capacidade para 5 mil pessoas (previsão de entrega para junho deste ano), a segunda que ampliará para 20 mil e a terceira que ampliará para 43 mil e “onde serão construídos os vestiários de última geração e implantados os traços tecnológicos mais modernos”, segundo a reportagem do Globo Esporte.

Não haverá um centavo sequer de dinheiro “público” nessa obra, segundo Joacir. A área é de 200.000 m² e o campo terá medidas FIFA (105 x 68m), além de ginásio poliesportivo e campos de gramado sintético. Tudo com dinheiro da iniciativa privada.

É! Não basta ser exposto como incompetente, corrupto e ineficiente, o Estado precisa sempre ser humilhado para (quem sabe) com o choque os cidadãos começarem a prestar mais atenção em como seu dinheiro (roubado) é gasto sem o menor pudor, racionalismo e/ou coerência.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Globo Esporte – http://globoesporte.globo.com/rj/serra-lagos-norte/noticia/2014/05/clube-da-serie-c-do-rio-apresenta-projeto-de-estadio-para-43-mil-pessoas.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=globoesportecom

UOL Esporte –http://copadomundo.uol.com.br/cidades-sede-e-estadios/2014/estadios/

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Iniciativa privada prova novamente a defasagem do sistema comunista de Cuba

TaxiemCuba

A Ditadura cubana deu mais um sinal de rendição e reconhecimento da derrota do defasado modelo comunista na Ilha Cárcere. O ditador comunista Raul Castro decretou a privatização do serviço de táxis cubano.

Após quase quatro anos de testes, a ditadura castrista percebeu os benefícios do sistema privado de serviço de táxi. Portanto, os antes funcionários públicos serão transformados em profissionais autônomos. A notícia foi veiculada pelo jornal estatal Granma.

Segundo a publicação a privatização ocorrerá para melhorar a qualidade do serviço de transporte do país. Ou seja, Raul Castro está reconhecendo que o serviço privado de táxi é melhor que o estatal.

Inclusive, também segundo o Granma: “o sistema tradicional (estatal) não foi capaz de resolver inconvenientes”. Os exemplos são: apropriação dos lucros por taxistas e a cobrança acima da tabela estabelecida.

Os taxistas desejam ficar com os lucros de seu trabalho e como possuem remunerações miseráveis, se apropriavam de tais lucros (que legitimamente pertenciam a eles, pois o Estado não fazia nada para contribuir com a obtenção dos mesmos) e cobravam acima da tabela existente. Nada que não fosse esperado por analistas sérios ao olharem para um país onde o salário médio não supera os US$20 ao mês e todos são (eram) funcionários públicos.

Há também problemas estruturais que a ditadura assume não poder solucionar, como a necessidade de modernizar as frotas (algo que mesmo a iniciativa privada não conseguirá fazer se os carros continuarem a custar o equivalente a 143 anos de trabalho dos cubanos, no mínimo).

O sistema privatizado deve incorporar 20 agências de táxi que farão parte da empresa Taxis-Cuba, a ser gerida pelos próprios taxistas. Haverá alguns táxis estatais na rua ainda, mas pouquíssimos.

É muito interessante constatar mais essa derrota irremediável do comunismo/socialismo em um país tido como “modelo” pela esquerda mundial. Seguirão o modelo das reformas liberais em Cuba? Ou manter-se-ão em vossas ideologias confinados, negando em um futuro não distante que “nunca houve comunismo e/ou socialismo em Cuba”?

Com a privatização, mesmo pertencendo à mesma empresa, os taxistas passam à condição de autônomos, ou seja, donos de sua mão de obra, antes escravizada pelo Estado. Terão que concorrer com outros cubanos e, independente de possível “tabelação” dos valores pela própria empresa, conseguirão cobrar valores diferenciados (acima ou abaixo dependendo do caso). Essa prática garante a saúde financeira necessária à manutenção do serviço.

Agora, caso os carros não baixem seus preços para a realidade desses trabalhadores, não haverá modernização da frota e será por culpa do sufocamento ao setor causado pelas defasadas políticas econômicas comunistas/socialistas de Cuba. Caso haja a possibilidade de adquirir novos veículos, não tenho motivos para duvidar que os taxistas farão isso.

Obviamente que alguns preferirão manter seus carros dos anos 40 e 50, mas por motivos comerciais também, pois estes servem de atração aos turistas. O sistema privado permitirá que os taxistas obtenham dinheiro suficiente para efetuar reparos e manutenção em seus veículos, melhorando a qualidade do serviço. Também terão motivação para trabalhar focados nos resultados positivos através de boa prestação de serviços e preços acessíveis, porém lucrativos, pois tais lucros ficarão em suas mãos.

O reconhecimento da superioridade do serviço privado e de sua implantação no setor de taxis em Cuba resulta em mais uma importante vitória dos cubanos e derrota do comunismo/socialismo no mundo.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Exame – http://exame.abril.com.br/economia/noticias/governo-cubano-anuncia-privatizacao-dos-servicos-de-taxi

English Eastday – http://english.eastday.com/e/140109/u1a7877572.html

Excelsior – http://www.excelsior.com.mx/global/2014/01/09/937381

UOL Economia – http://economia.uol.com.br/noticias/afp/2014/01/08/governo-cubano-privatiza-servicos-de-taxi.htm

Zero Hora – http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2014/01/governo-cubano-anuncia-privatizacao-dos-servicos-de-taxi-4384601.html

La Informacionhttp://noticias.lainformacion.com/economia-negocios-y-finanzas/transporte/cuba-extiende-el-arrendamiento-de-taxis-estatales-y-choferes-seran-privados_oTkI9BUtHcUVR0zDn17ht1/

Cubanos por el mundo – http://cubanosporelmundo.com/2014/01/03/listado-de-precio-de-los-carros-en-cuba-segun-el-estado-cubano/

InfoMoney – www.infomoney.com.br/minhas-financas/carros/noticia/3132101/primeiro-dia-vendas-livres-carros-cuba-tem-peugeot-508-por

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Copa do Mundo 2014 – Alemanha utiliza iniciativa privada, já o Brasil…

Da série Iniciativa Privada x Intervencionismo

corrupçãonaCopa

Os jogos da Seleção de Futebol da Alemanha na fase de grupos da Copa do Mundo 2014, no Brasil, ocorrerão no Nordeste, nas cidades de Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Recife (PE).

Porém, por não encontrar um hotel que tivesse o luxo necessário aliado à estrutura para treinamentos, a Alemanha resolveu “empreender no setor imobiliário brasileiro”. Será construído um centro de treinamento e hotel no sul da Bahia, a 30 km de Porto Seguro, para receber a seleção alemã. Mas fique tranqüilo, pois tudo será pago pela iniciativa privada alemã.

Você leu certo! A iniciativa privada alemã, através de empresas do país europeu, financiará toda a estrutura necessária para acomodar a seleção de futebol da Alemanha, no Brasil, em 2014, durante a participação na Copa do Mundo de Futebol da FIFA.

Serão construídas treze casas para acolher a delegação e um centro de treinamento com toda a estrutura necessária, tudo com dinheiro de empresas privadas alemãs. O terreno será cercado para garantir a tranqüilidade, concentração e segurança dos alemães.

O empreendimento será chamado de “Camp Bahia” e após a participação da seleção de futebol na Copa do Mundo, será transformado em um resort para receber turistas (nacionais e estrangeiros). Ou seja, a iniciativa privada alemã enxergou uma ótima oportunidade de investir em solo brasileiro, beneficiando a seleção de futebol de seu país (o que garante retorno positivo à imagem das empresas em questão) e ainda lucrar no longo prazo.

As empresas não investirão porque são “boazinhas”, mas por causa da ótima oportunidade de agregar publicidade positiva à própria imagem e lucrar com o futuro resort. Nenhum centavo sairá dos bolsos dos pagadores de impostos alemães (nem dos nossos).

Enquanto isso, o Governo brasileiro torra bilhões do nosso dinheiro através do BNDES e investimentos diretos para a construção e/ou ampliação de estádios, aeroportos, sistema hoteleiro, turismo, cursos de idiomas para prostitutas, etc. São aproximadamente R$28 bilhões gastos. E o Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo (PCdoB), diz que o dinheiro é do BNDES e não sairá do bolso do contribuinte. Ora, Aldo, então o BNDES fabrica o próprio dinheiro? Não? Então ele é bancado com o nosso dinheiro, logo… A desonestidade intelectual é gritante.

Enquanto as empresas alemãs construirão um empreendimento que abrigará a seleção de futebol de seu país e retornará lucros através da exploração como resort (pós-Copa), gerando empregos e renda em pleno Nordeste, o Governo Federal, em parceria com Estados e Municípios, construirá estádios no meio do Amazonas, para depois da copa deixar por lá, sem serventia, sem gerar empregos, renda, absolutamente nada além de prejuízo com manutenção.

O campeonato amazonense mal encheria do Estádio do Juventus/SP (o Moleque Travesso), na Rua Javari, na Mooca, quem dirá um elefante branco como a Arena Amazônia, em Manaus. Alguns dirão: “mas pode receber shows e outros eventos?”. Ah é? E quantas pessoas irão a esses eventos no Amazonas, mesmo que seja em Manaus, se deslocando centenas (ou milhares) de quilômetros? Que tal a Arena Pantanal? Quantas pessoas irão para o meio do Pantanal se entocar em um Estádio público assistir um show?

É dever do Estado construir estádios no meio do nada para não excluir os cidadãos desses locais do acesso a tal “serviço”? Não! A lógica é simples, se a iniciativa privada fosse a responsável, obviamente os Estádios seriam construídos e/ou ampliados em cidades com mais habitantes e/ou renda per capta maior, por uma questão de mercado. Se durante a Copa do Mundo da FIFA, as pessoas que moram no Pantanal e no Amazonas teriam que se deslocar muito para assistir aos jogos, por outro lado, após a Copa do Mundo da FIFA, os empreendimentos continuariam gerando lucros, pagando os próprios custos e o dinheiro do contribuinte não seria torrado com a manutenção de obras faraônicas no meio do nada.

Notemos também que o empreendimento alemão será construído há poucos meses para a Copa do Mundo. Enquanto os Estádios estão há mais de três anos “sendo terminados”. Enquanto ao Governo compensa arrastar as obras para entregar perto das eleições e facilitar o superfaturamento e a corrupção. Para a iniciativa privada interessa terminar o quantos antes e com custos baixos e a melhor qualidade possível.

Assistir às partidas de futebol profissional nos estádios não são não é um “direito do cidadão e dever do Estado proporcionar”, mas um produtos/serviço prestado e pelo qual deve haver pagamento. Se não pagarmos diretamente, para a iniciativa privada, melhor e mais barata, pagamos duas vezes, uma para o Estado construir os Estádios e outra para freqüentá-los, enquanto definharão aos nossos olhos.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Esporte Interativo – http://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/alemanha-ter%C3%A1-pr%C3%B3prio-ct-copa-brasil-130600361–spt.html

Estadão / Esportes – http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,justica-do-trabalho-interdita-obras-da-arena-amazonia,1108928,0.htm

Estadão / Esportes – http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,custo-dos-quatro-estadios-publicos-da-copa-do-mundo-sobe-r-692-milhoes,1100449,0.htm

Portal do Governo Federal – http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2013/06/estimativas-de-investimentos-geracao-de-empregos-e-renda-durante-a-preparacao-do-pais-para-a-copa-do-mundo-da-fifa-brasil-2014

Portal oficial da Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 – http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/governo-federal-detalha-os-investimentos-feitos-no-pais-para-a-copa

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized