Arquivo da tag: corrupção

Os Reis do “Lava-Jato”

Reis-Lava-Jato

A Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, expôs operações que fazem o Mensalão parecer roubo de pote de manteiga na venda da esquina.

Além das relações suspeitas entre o Deputado Federal Andre Vargas (PT/PR), o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em um esquema de compra de funcionários públicos, fraude, lesão ao Ministério da Saúde (MS) e corrupção ativa, que teria facilitado a obtenção de contratos fraudulentos com o MS e a Petrobras, outras relações começam a surgir.

A revista Veja descobriu que 121 parlamentares receberam R$29,7 milhões de 18 grupos ligados ao escândalo da MO Consultoria, empresa de fachada de Youssef, utilizada para repassar propinas de empresas fornecedoras da Petrobras à políticos e funcionários que facilitariam a obtenção de contratos com a estatal. Os 121 parlamentares estariam entre os beneficiários de tal esquema. Ao todo são 96 deputados e 25 senadores.

Engraçado como o nome de André Vargas não aparece na lista da Veja como um dos recebedores dos recursos de tais empresas, contudo, aparece nas investigações como recebedor de recursos do próprio Youssef. Agora, adivinhem quais são os principais recebedores desses recursos, entre os 121 parlamentares? Difícil? Então aqui vai: 1ª – Senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) com R$2.420.000,00; 2º – Senador Lindbergh Farias (PT/RJ) com R$2.300.000,00 e 3º – Senador Humberto Costa (PT/PE) com R$1.530.000,00. Só esses três receberam para suas campanhas em 2010 aproximadamente R$6.250.000,00 (R$6.25 milhões) de empresas envolvidas no esquema de Youssef.

As duas principais “financiadoras” de tais parlamentares, que repassaram mais recursos à MO Consultoria, de Youssef e Paulo Roberto Costa, são as empreiteiras Camargo e Corrêa e OAS, com respectivamente R$12.145.000,00 e R$5.243.000,00 cada. No caso da Camargo e Corrêa as suspeitas são de que R$7.9 milhões foram repassados através do esquema de Youssef e Costa.

Gleisi Hoffmann (também pré-candidata ao Governo do Paraná) é a “Rainha das Empreiteiras”, tendo recebido R$1 milhão da Camargo e Corrêa e R$780 mil da OAS para sua campanha de 2010. Também é a que tem envolvimento com maior número de empresas investigadas pela Operação Lava-Jato, ao lado de Lindbergh Farias. O Ministro da Comunicações, Paulo Bernardo, marido de Gleisi, também é suspeito de possuir relações escusas com as empreiteiras.

Não custa também lembrar que André Vargas foi o coordenador de campanha de Paulo Bernardo à Câmara em 1998 e era o atual coordenador da campanha de Gleisi ao Palácio Iguaçu, antes de iniciarem investigações e ser afastado pela senadora.

No total, entre 2006 e 2012 foram repassados R$856 milhões para partidos e candidatos pelas empresas sob investigação e que participaram do esquema da MO Consultoria. Perto disso, o Mensalão não passa de furto de galinha.

Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista

Fontes:

Ucho.Info – http://ucho.info/gleisi-hoffmann-foi-quem-mais-levou-dinheiro-de-empresas-investigadas-na-operacao-lava-jato

Veja – http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/fornecedores-da-petrobras-financiaram-campanha-de-121-parlamentares-em-atividade

Revista Exame – http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/o-marido-paulo-bernardo-doou-r-15-mil-a-campanha-da-esposa-gleisi

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

As perigosas relações de Gleisi Hoffmann

gleisi-vargas-gaievski

A ex-ministra Chefe da Casa Civil e atual pré-candidata ao Governo do Paraná, a Senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR), não sabe escolher seus assessores, ou sente-se tão “intocável”, que não liga em escolher as piores relações possíveis.

Começou com Eduardo Gaievski (PT/PR), sua pior escolha até agora, pois conseguiu colocar um indivíduo que hoje é acusado de 40 crimes sexuais, sendo 28 contra menores e, destes, 14 contra vulneráveis (menores de 14 anos), para trabalhar na sala ao lado da presidente Dilma Rousseff (PT) e ainda por cima como responsável pelas políticas da Presidência da República para Jovens e Adolescentes. É como colocar o lobo para cuidar dos cordeiros.

Ainda por cima, os irmãos de Gaievski possuem mandados de prisão expedidos, seu filho está preso e seu melhor amigo, da época como Prefeito de Realeza (PR), também. Todos por tentativa de coerção e suborno de testemunhas. Seu filho é namorado da filha do prefeito atual de Realeza, o qual Gaievski ajudou a eleger e que mandou despejar de um “terreno público” um senhor que se recusou a retirar a queixa contra Gaievski, pelo estupro de sua neta.

Não satisfeita, escolheu o deputado federal André Vargas (PT/PR) como coordenador de sua campanha ao Governo do Paraná, para depois ter que afastá-lo pelo envolvimento deste com o doleiro Alberto Youssef e o ex-Diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em fraudes investigadas pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato. O doleiro e o Costa estão presos, enquanto André Vargas ameaça abrir a boca caso não receba ajuda do Partido dos Trabalhadores, que recuou a ideia de jogá-lo aos leões depois de tais falas.

Vargas, Youssef e Costa são investigados por atuar na obtenção de contratos fraudulentos com o Ministério da Saúde, a Petrobras e outras estatais, além do pagamento de propinas a funcionários públicos e a políticos. No total, a turma teria movimentado ilicitamente R$10 bilhões. Entre esses contratos estão situações muito suspeitas, como a MO Consultoria, de Youssef, recebendo mais de R$34 milhões de nove fornecedores da Petrobras, sendo tal empresa apenas de fachada e investigada por corrupção ativa, ao repassar propinas.

Há também o contrato assinado a convite (?) de uma empresa, a Ecoglobal Ambiental, e sua filial nos Estados Unidos, a Ecoglobal Overseas, com a Petrobras. Ambas assinaram contrato de R$443,8 milhões, para depois venderem 75% de suas ações por R$18 milhões, para Youssef e Paulo Roberto Costa. Pois é, incrível!

Gleisi Hoffmann não pode dizer que desconhecia esse lado de André Vargas, nem mesmo de Youssef e sua relação com o primeiro, pois em 1998 ambos foram indiciados por desvio de R$14 milhões da Prefeitura de Londrina (PR) para abastecer o caixa 2 da campanha à Deputado Federal do atual Ministro das Comunicações (e marido de Gleisi) Paulo Bernardo.

Qual será o próximo passo? Colocar o Fernandinho Beira-Mar no Ministério da Defesa, ou em uma Secretaria de Políticas contra as Drogas? Desse jeito o único lugar ao qual Gleisi chegará é a lista negra do próprio PT, na qual já estão seus companheiros Gaievski e Vargas.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

G1 Política – http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/deputado-andre-vargas-renunciara-ao-mandato-informa-assessoria.html

G1 Política –http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/andre-vargas-atuou-com-doleiro-por-contrato-com-ministerio-diz-revista.html

Blogs – Estadão –http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/policia-federal-indicia-46-investigados-da-operacao-lava-jato/

G1 Política –http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/vargas-recua-e-desiste-de-entregar-carta-de-renuncia-diz-assessoria.html

Folha de São Paulo –http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1439147-pf-cumpre-21-mandados-de-prisao-na-2-fase-da-operacao-lava-jato.shtml

Site do Fabio Campana – http://www.fabiocampana.com.br/2014/04/chantagens-e-mentiras-andre-vargas-na-veja/

Ucho Info – http://ucho.info/andre-vargas-manda-duros-recados-ao-pt-e-ameaca-contar-o-que-sabe-sobre-gleisi-e-paulo-bernardo

Ucho Info – http://ucho.info/pt-adota-discurso-embusteiro-e-malandro-para-tentar-salvar-o-enrolado-andre-vargas-e-o-proprio-partido

Ucho Info – http://ucho.info/conselho-de-etica-da-camara-abre-processo-para-investigar-andre-vargas-que-nao-pode-mais-renunciar

Ucho Info – http://ucho.info/doleiro-preso-lavou-dinheiro-para-o-marido-de-gleisi-a-mando-de-andre-vargas-aponta-o-mp-do-parana

Estadão Política – http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,escandalo-ja-unia-parlamentar-e-doleiro-em-1998,1151170,0.htm

Ucho Info –http://ucho.info/?s=Gaievski&x=0&y=0

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

André Vargas – O homem bomba do PT

ANDRE-VARGAS-PT

O deputado federal André Vargas (PT/PR) é o nome do momento nos bastidores do Partido dos Trabalhadores (PT). Vargas é acusado de envolvimento ilícito com o doleiro Alberto Youssef para enriquecer através de fraudes em contratos com o Governo. Entre esses contratos estão fraudes envolvendo a Petrobras, o Ministério da Saúde e figuras como a Senadora e ex-ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann e o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

André Vargas é uma bomba ambulante e ameaçou contar tudo o que sabe sobre a sujeira por debaixo do tapete do PT. Vargas foi secretário nacional de Comunicações do partido, logo, não possui poucas informações, principalmente sobre os bastidores.

A relação de Vargas com Youssef e Paulo Bernardo é antiga. Em 1998 o hoje deputado federal foi responsável pela coordenação da campanha de Paulo Bernardo para a Câmara dos Deputados. Nessa época, Vargas e Youssef foram alvos de um processo judicial por desvio de R$14 milhões da prefeitura de Londrina (PR) via contratos fraudulentos e lavagem de dinheiro através do fundo de campanha de Paulo Bernardo.

Atualmente, ambos (Vargas e Youssef) são investigados por envolvimento em fraudes que contabilizam aproximadamente R$10 bilhões. O deputado federal pelo Paraná é acusado de facilitar e até intermediar as relações de Youssef com estatais e ministérios, entre eles a Petrobras e o Ministério da Saúde. No primeiro caso, Vargas é acusado de atuar, junto com o ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, na obtenção de contratos fraudulentos para empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef. Uma dessas empresas é a MO Consultoria, utilizada para pagar propinas a funcionários públicos e políticos e que recebeu R$34,7 milhões de nove fornecedores da petroleira estatal brasileira.

Contudo, o caso da MO não é nada se comparado aos casos da Ecoglobal Ambiental (Macaé/RJ) e sua filial nos Estados Unidos, a Ecoglobal Overseas, que através de convite assinaram contratos no valor de R$443,8 milhões, em 2013, com a Petrobras. Na mesma época da assinatura do contrato, as empresas Ecoglobal negociavam a venda de 75% de suas ações para uma empresa cujos sócios são Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa. O valor da compra das ações era de R$18 milhões. Ora, como uma empresa que assina um contrato de R$443,8 milhões vende 75% de suas ações por “apenas” R$18 milhões? Na negociata está também a empresa Tino Real Participações, sendo uma das Maria Thereza Barcellos da Costa. Segundo despacho da Justiça do Paraná, Maria Thereza está envolvida com outra pessoa acusada de participação em crimes relacionados a Fundos de Pensão.

No segundo caso, a revista Veja disponibilizou conversas em que Vargas e Youssef planejam suas “independências financeiras” através de contratos na ordem de até R$150 milhões (isso foi descoberto depois) com o Ministério da Saúde. A empresa envolvida é a Labogem, que já possui histórico de negócios suspeitos com a pasta, sempre sob a chancela do ex-ministro Alexandre Padilha. Explorarei melhor essa relação em artigo próximo.

Após toda essa confusão, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou processo de cassação do mandato de André Vargas (PT/PR), que desistiu de renunciar por tal fato. Ao ser pressionado por setores do próprio PT para que renuncie e saia de cena para não atrapalhar os planos do Partido nas Eleições 2014, principalmente as candidaturas de Gleisi Hoffmann ao Governo do Paraná (da qual era o coordenador, mas foi afastado) e do ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao Governo de São Paulo, o deputado federal ameaçou abrir a boca e rapidamente houve uma “Mudança de postura” do partido em relação ao seu caso.

Antes tentavam se livrar de Vargas, agora tentam livrar Vargas.

Por Roberto Lacerda Barricelli

 

Fontes:

G1 Política – http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/deputado-andre-vargas-renunciara-ao-mandato-informa-assessoria.html

G1 Política –http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/andre-vargas-atuou-com-doleiro-por-contrato-com-ministerio-diz-revista.html

Blogs – Estadão –http://blogs.estadao.com.br/fausto-macedo/policia-federal-indicia-46-investigados-da-operacao-lava-jato/

G1 Política –http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/04/vargas-recua-e-desiste-de-entregar-carta-de-renuncia-diz-assessoria.html

Folha de São Paulo –http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1439147-pf-cumpre-21-mandados-de-prisao-na-2-fase-da-operacao-lava-jato.shtml

Site do Fabio Campana – http://www.fabiocampana.com.br/2014/04/chantagens-e-mentiras-andre-vargas-na-veja/

Ucho Info – http://ucho.info/andre-vargas-manda-duros-recados-ao-pt-e-ameaca-contar-o-que-sabe-sobre-gleisi-e-paulo-bernardo

Ucho Info – http://ucho.info/pt-adota-discurso-embusteiro-e-malandro-para-tentar-salvar-o-enrolado-andre-vargas-e-o-proprio-partido

Ucho Info – http://ucho.info/conselho-de-etica-da-camara-abre-processo-para-investigar-andre-vargas-que-nao-pode-mais-renunciar

Ucho Info – http://ucho.info/doleiro-preso-lavou-dinheiro-para-o-marido-de-gleisi-a-mando-de-andre-vargas-aponta-o-mp-do-parana

Estadão Política – http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,escandalo-ja-unia-parlamentar-e-doleiro-em-1998,1151170,0.htm

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Entrevista – Emerson Eduardo Rodrigues Setim – Bloco 2

Continuação da entrevista com Emerson Eduardo Rodrigues Setim. Neste bloco o entrevistado aborda os motivos de sua prisão, as arbitrariedade cometidas por autoridades e enuncia casos de corrupção e perseguição.

A qualidade do vídeo não ficou como deveria devido a problemas técnicos, pois tivemos que antecipar a entrevista e improvisar equipamentos por causa da ameaças recebidas pelo entrevistado na última semana de janeiro.

Declaração de Emerson Eduardo Rodrigues Setim sobre o site “Homens de Bem” (ao qual teve o nome ligado pelo site Anonymous e alguns ativistas): “Um site criminoso. Tergiversaram o conteúdo para torná-lo criminoso e com apologia à violência física e sexual, visando incriminar pessoas conservadoras e de direita e incluir neste rol outros blogueiros de direita.

Já fiz atas notariais (contra o site “Homens de Bem”) e estive juntamente com o Dr. Flávio Setti da Policia Federal e o Dr. Demétrius da Nuciber (Núcleo de crimes Cibernéticos de Curitiba), inclusive denunciando todos os que estão me ameaçando, a minha família, a minha filha de 6 meses de estupro e por calunia/difamação, para serem responsabilizados cível e criminalmente”.

 

Minha opinião sobre o site “Homens de Bem”: os envolvidos (quando forem localizados e provado tal envolvimento) devem ser responsabilizados. O site é um atentado aos cidadãos e presta um desserviço à sociedade.  Um dos piores conteúdos que já tive o desprazer de ler.

1 comentário

fevereiro 5, 2014 · 13:18

Gleisi Hoffmann, PT e o desespero para “livrar” Eduardo Gaievski

Da série: “Gaievski – O Monstro da Casa Civil”

gaievski

O monstro da Casa Civil ao qual se refere este artigo é o ex-assessor “especial” da Ministra Chefe Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao Governo do Paraná nas eleições deste ano.

Gaievski é acusado de 40 crimes sexuais, dentre os quais 26 estupros contra menores de idade, um estuprador/pedófilo em série. Os demais estão relacionados à utilização da máquina estatal para obter favores sexuais. O mais chocante é saber que dos 26 estupros, pelos quais Gaievski é acusado, 17 são contra “vulneráveis”, ou seja, menores de 14 anos.

No entanto, os conhecimentos internos de Gaievski sobre o PT e a própria Gleisi Hoffmann faz com que estes dois tentem desesperadamente livrá-lo da cadeia; onde inclusive teme ser assassinado. Tanto teme a própria morte que disse: “Não serei um novo Celso Daniel”, em alusão ao prefeito petista de Santo André, assassinado em 2002, e sobre o qual se descobriu haver participação em um esquema de corrupção para desvio de verbas com destino ao financiamento da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva ao Palácio do Planalto.

Os advogados de Gaievski lhe garantiram que passaria o Natal em sua casa, porém isso não ocorreu e seu filho, André Willian Gaievski, foi preso junto com o secretário de Administração da prefeitura de Realeza (Estado do Paraná), Fernandes da Silva Borges. Ambos foram presos em flagrante por compra de testemunhas, estando na companhia das mães de duas das vítimas de estupro. Todos se encaminhavam para registrar depoimentos inocentando Gaievski, na cidade de Francisco Beltrão (PR).

Foram encontrados R$1 mil com cada e as investigações posteriores revelam que o dinheiro era apenas um “sinal” e que muito mais seria entregue às mães durante o julgamento de Gaievski e caso este fosse inocentado. Pergunto-me como duas mães podem aceitar dinheiro, ou qualquer outra coisa que não fosse a punição, do agressor sexual de suas filhas (menores)? Não me venham com “situação social”, pois pobreza não justifica mau caráter, inclusive, este é encontrado com bem mais frequência em figurões como Gaievski.

Ora, se é “inocente”, porque comprar testemunhas? Vai dizer que existe um complô contra si e que és mais um preso político em um país governado há 11 anos pelo partido ao qual representa? Complô do próprio partido que tenta desesperadamente livrá-lo e teme que a candidatura de Gleisi Hoffmann seja ainda mais prejudicada? Claro que não! Isso sequer foi balbuciado por Gaievski, pois até ele sabe que não “colaria”.

Se os advogados não conseguiram juntar Gaievski à sua família para um Natal em casa, ao menos o ex-assessor de Gleisi poderá desfrutar da companhia dos familiares na prisão, pois seus irmãos, Edmundo Rafael e Francisco Romano Gaievski, têm mandados de prisão expedidos contra si pela Justiça da Comarca de Realeza (PR) e estão foragidos. Os motivos para prisão são os mesmos de André Willian e Fernandes Borges: tentativa de compra de testemunhas, com um “agravante”, tentavam coagir aqueles que não aceitam serem comprados. Tudo isso em nome do “inocente” irmão?

Para todas essas operações “brotaram” R$600 mil (aproximadamente), os quais a Polícia e o Ministério Público não conseguiram estabelecer ainda a origem, classificando-os como “recursos não contabilizados”. A suspeita é que o dinheiro foi levantado com ajuda de parentes e, principalmente, da utilização de influência por Gleisi Hoffmann e o PT.

Esqueci de mencionar que Gaievski foi prefeito de Realeza (PR) por dois mandatos consecutivos e conseguiu eleger seu sucessor. Com tal “sucesso” obtido, era considerado uma estrela em ascensão dentro do PT, no Paraná, o que o levou à Casa Civil, trazido pela Ministra Gleisi Hoffmann, desejosa de fortalecer suas candidatura ao Governo do Paraná em 2014. O tiro saiu pela culatra e agora Gaievski prejudica a imagem de Gleisi, que vem perdendo pontos na corrida ao Palácio Iguaçu (sede do Executivo do Paraná).

Outro fato alarmante, o atual prefeito de Realeza (eleito com a ajuda de Gaievski), Milton Andreolli (PT), tem atuado ativamente na operação petista para livrar Gaievski, através de ameaças e blindagem oficial. Entre suas ações estão o não comparecimento ao julgamento do qual é testemunha de defesa, conseguindo adiamento, concessão de 2 anos de licença a Fernandes Borges após sua prisão e ameaças ao aposentado João Pontes, que reside em terreno da prefeitura de Realeza e foi notificado para desocupar o imóvel em no máximo 30 dias (em dezembro/2013) após se recusar a retirar a queixa contra Gaievski pelo estupro de sua neta.

Detalhe: a filha de Andreolli namora o filho de Gaievski, Andre Willian, que como já informado está preso por tentativas de intimidação e corrupção de testemunhas. Ainda sobre Andre Willian, os irmão Edmundo e Francisco e Fernandes Borges recaem as acusações por formação de quadrilha e falsidade ideológica.

É também aviltante (no mínimo) a tese da defesa de Gaievski de que meninas de 12 estão aptas a se defender de agressores sexuais e “possuem maturidade precoce para evitar qualquer constrangimento ilegal por parte do acusado”. Claro, elas são tão fortes, aptas e maduras quanto um homem forte, pedófilo e bem mais velho, certo? Só na tese absurda da defesa. Que tal ouvirmos o áudio no qual Gaievski conta a amigos como tirou a virgindade de uma menor (detalha um dos estupros)? Basta clicar aqui, se tiver estômago (falarei mais disso em post futuro).

Gaievski afirma também que conhece muito bem o caixa 2 do PT e sinaliza com a possibilidade de utilizar tal conhecimento em seu favor durante o julgamento, tentando uma “delação premiada”, onde no mínimo sua pena será menor do que os 400 anos aos quais pode ser condenado. Esse fato desespera ainda mais o partido e coloca Gleisi em uma posição extremamente difícil, sob pressão de todos os lados.

O desespero é tão grande, que Gleisi Hoffmann tem feito extensa campanha de censura contra a mídia e todos aqueles que ousam falar sobre o assunto. Um dos seus principais alvos é o site Ucho.info (onde obtive muitas das informações deste arquivo) com processo ao já conhecido estilo esquerdista do “Não gostei, vou processar”, ou “Como ousa noticiar os fatos? Vou te processar”.

De Ministra Chefe da Casa Civil e forte candidata ao Palácio Iguaçu, Gleisi assume a personalidade autoritária, egocêntrica e censora. É esse perfil que o cidadão paranaense deseja no Governo do Estado?

Contudo, pequena parte da mídia tem batido no assunto, pois infelizmente muitos de meu colegas são covardes, idiotas úteis, ou adeptos do “mau caratismo”, indivíduos sem ética que se vendem por dinheiro, favores e/ou falso enaltecimento pessoal e profissional.

O autoritarismo censo de Gleisi Hoffmann e do PT também colabora com o abafamento do caso. Mesmo assim Gleisi e o PT têm perdido esta batalha contra tudo e todos para “inocentar” Gaievski, na qual vale tudo: corrupção, ameaças, fraudes, violação de direitos, censura, coação e o que mais vier. Tudo em nome do projeto de poder, jamais dos cidadãos, muito menos das meninas violentadas, pois estes não valem nada, só o voto, que não se furtam em obter através dos mesmos meios utilizados até agora no caso Gaievski.

Inclusive! A Ministra parece gostar de escolher criminosos para assessores, pois indicou o ex-vereador de Londrina (PR), Gláudio Renato de Lima, para assumir a tesouraria do diretório do PT no Paraná. Gláudio também foi a escolha de Gleisi para assessor parlamentar no Senado, em 2011. E qual o problema? Bem, talvez o fato de que Gláudio Renato de Lima foi condenado à 9 anos e 10 meses de prisão por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e concussão, em 2012.

Quem escolhe alguém com esse histórico para governar seu Estado está compactuando com o modus operandi nefasto que aqui foi exposto. Espero que não seja esse o caso dos paranaenses e que o monstro da Casa Civil, Eduardo Gaievski, junto com seus comparsas, seja condenado e punido pelos seus crimes e tenha um único ato de decência em vida: dizer o que sabe sobre o caixa 2 do PT, para desespero dos idiotas úteis e corruptos e benefício do cidadão brasileiro.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Gazeta do Povo:

1 – http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1426885

2 – http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1419346

Ucho Info:

1 – http://ucho.info/operacao-fracassada-para-libertar-gaievski-ex-assessor-pedofilo-de-gleisi-hoffmann-teria-utilizado-caixa-2

2 – http://ucho.info/decretada-prisao-de-irmaos-de-gaievski-ex-assessor-pedofilo-de-gleisi-por-coacao-de-testemunhas

3 – http://ucho.info/com-predilecao-por-assessores-enrolados-gleisi-indica-condenado-para-tesoureiro-do-pt-do-parana

4 – http://ucho.info/ex-assessor-pedofilo-de-gleisi-pode-fazer-delacao-premiada-e-contar-o-que-sabe-sobre-o-caixa-2-do-pt

5 – http://ucho.info/entenda-porque-gleisi-hoffmann-a-incompetente-ministra-da-casa-civil-tenta-calar-o-editor-do-ucho-info

Site do Fabio Campana:

1 – http://www.fabiocampana.com.br/2013/11/gaievski-contrata-mattar-assad-e-quer-passar-o-natal-em-casa/

2 – http://www.fabiocampana.com.br/2013/11/gaievski-e-acusado-de-estupro-em-depoimento-de-adolescentes/

Implicante.org – http://www.implicante.org/blog/a-cocaina-e-o-estupro-de-menores/

Jornal Liberal –  www.liberalonline.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2548:concluida-nova-audiencia-do-caso-gaievski&catid=39:policial&Itemid=58

Boca Maldita – http://www.bocamaldita.com/1119792961/gaievski-e-a-blindagem-oficial/

Youtube – Áudio de Eduardo Gaievski detalhando um dos estupros – http://www.youtube.com/watch?v=RHrYIHKASlU&feature=share

12 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Urnas Eletrônicas brasileiras: fraudes, corrupção e ameaças

Urna-Eletronica

As urnas eletrônicas utilizadas no Brasil são a chamada de “primeira geração”, isto significa que utilizam o sistema Direct Recording Eletronic voting machines (DRE). Neste caso a confiabilidade da apuração dos votos depende totalmente da inviolabilidade do software utilizado, pois não há possibilidade de auditoria dos resultados diretamente nas máquinas.

A auditoria só é possível diretamente no sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após o recebimento dos dados enviados pelo software em questão. Contudo, um hacker brasileiro de apenas 19 anos conseguiu interceptar e retardar a transmissão dos dados, alterando estes antes que chegassem ao sistema do TRE do Rio de Janeiro e beneficiando determinados candidatos em detrimento de outros, nas eleições de 2010.

O jovem hacker, conhecido apenas como Rangel (por questões de segurança) conseguiu efetuar a fraude com apoio de comparsas e através de acesso privilegiado à intranet da Justiça Eleitoral do Rio de Janeiro. Neste caso o responsável pela apuração era o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Porém, o processo para efetuar a fraude caso o responsável fosse o TSE seria o mesmo. O esquema beneficiou (segundo Rangel) principalmente o deputado Paulo Melo (PMDB). A fraude foi descoberta em 2012 e desde então Rangel “desapareceu” da mídia, que pouca importância deu ao ocorrido.

Para o então presidente do TSE e atual ministro no Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, o sistema era inviolável, mesmo após a urna eletrônica de primeira geração ser violada por um grupo da Universidade de Brasília (UnB) em testes promovidos pelo próprio TSE. Para Lewandowski o fato não deve ser preocupante, pois a violação ocorreu em “ambiente controlado” e em uma “situação real” a violação é impossível, nas palavras de Lewandowski: “          Eles não teriam acesso à fonte, ao algoritmo e não teriam como identificar a lista com os eleitores”.

O que o ministro não considera (por irresponsabilidade ou falta de informação) é que de acordo com o artigo 66 da Lei 9.504: “nos seis meses que antecedem as eleições regulares é obrigatória a apresentação do código fonte para o Ministério Público, OAB, partidos e todos os demais interessados. Também não são considerados por Lewandowski os seguintes fatos:

1 – Após a ordenação dos votos, os fraudadores que queiram coagir eleitores podem anotar a ordem de votação dos eleitores e identificar o voto de cada indivíduo co-relacionando com a hora nos arquivos de log (sendo esta uma informação disponibilizada publicamente).

2 – A urna DRE grava o voto diretamente em sua memória digital, porém não possibilita aos eleitores que verifiquem que seus votos foram gravados corretamente.

3 – Devido à impossibilidade de auditoria da gravação dos votos as urnas DRE foram rejeitadas em 50 países e declaradas inconstitucionais na Holanda e na Alemanha.

4 – Nas eleições municipais de 2012 houve registro de possíveis fraudes em 94 municípios brasileiros, sendo 30 destes no Estado de São Paulo.

5 – A Diebold, empresa fabricante e fornecedora das urnas eletrônicas utilizadas pelo Brasil, recebeu multa de US$50 milhões do Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América por corrupção (suborno de funcionários públicos estrangeiros, falsificação de documentos e colaboração com fraudes na China, na Rússia e na Indonésia).

As urnas de terceira geração possibilitam a conferência pelos eleitores dos votos gravados, através da impressão de uma cédula, depois depositada em uma urna física. Esse procedimento dificulta muito qualquer tipo de fraude direta sobre os votos (pois sempre haverá alguma forma de fraude através de coação, porém, as chances diminuem muito com as urnas de terceira geração).

Mas não parece haver vontade para implantação desse sistema mais seguro, pois o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional a impressão do voto; o argumento é que tal ato consistiria na quebra do direito ao sigilo. Enquanto Holanda e Alemanha consideram “criminosas” as urnas que utilizamos, nossos “representantes” no STF consideram (a maioria deles) as urnas de terceira geração (muito mais confiáveis) “criminosas”.

O item 1, apresentado acima, mostra claramente que o sigilo pode ser facilmente quebrado no sistema atual, enquanto os fatos corroboram que o mesmo é muito difícil de ocorrer com as urnas de terceira geração. Logo, cai por terra essa falácia utilizada por representantes de interesses partidários no aparelhado STF.

Os poucos com coragem para expor essa situação vergonhosa e criminosa “somem”, ou são assassinados, segundo o Deputado Chiarelli, que afirma receber ameaças de morte desde que começou a denunciar as urnas. O também deputado, Capitão Assumpção, diz que as urnas eletrônicas brasileiras são controladas pelo crime organizado, citando o caso de um candidato que recebeu mais de 65 mil votos e, no entanto, apareceu zero voto (ou seja, nem o voto do próprio candidato apareceu).

Outro caso interessante ocorreu em Caxias/MA, onde diversos candidatos não tiveram um voto sequer (nem mesmo os votos deles!?!). Mais interessante ainda é a “coincidência” em Guarulhos, nas eleições municipais de 2004, onde 79927 eleitores estão como brancos e nulos, 79927 não votaram e outros 79927 justificaram. Extrema coincidência? As probabilidades matemáticas apontam que não.

Ao conhecer todos esses fatos me questiono quão “estranho” foram as eleições municipais em São Paulo capital, em 2013. Na época o líder das intenções de voto era Celso Russomano, contudo, este não chegou sequer ao segundo turno e Fernando Haddad (PT) venceu o pleito. Desde então escuto e leio muitos conhecidos, amigos e até desconhecidos afirmando não conhecer uma única pessoa que tenha votado no Haddad ou que conheçam outros que o fizeram (e olha que esses “testemunhos” são encontrados até em “redutos” do petismo como bairros mais pobres e periféricos). Claro que pode soar como uma “teoria da conspiração”, mas é no mínimo de despertar desconfiança, principalmente após as informações contidas neste artigo e em suas fontes.

A realidade é simples: as urnas eletrônicas brasileiras estão obsoletas, são inseguras e, mesmo sabendo disso, o TSE, o STF e o Governo se recusam a admitir os fatos e efetuarem as mudanças necessárias, como a troca das urnas DRE pelas de terceira geração, para conferir confiabilidade e segurança ao processo eleitoral e permitir a auditoria dos votos.

O aparelhamento dos poderes fortaleceu a corrupção, as fraudes e a intimidação a favor do projeto de poder de alguns, em detrimento de toda a sociedade brasileira.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Folha Política:

1 – http://www.folhapolitica.org/2013/05/urnas-eletronicas-tema-repleto-de.html

2 – http://www.folhapolitica.org/2013/09/mais-de-50-paises-ja-rejeitaram-as.html

3 – http://www.folhapolitica.org/2013/12/eua-multam-diebold-fabricante-das-urnas.html

4 – http://www.folhapolitica.org/2013/07/94-municipios-com-registro-de-fraudes.html

Viomundo – http://www.viomundo.com.br/denuncias/voto-eletronico-hacker-de-19-anos-revela-no-rio-como-fraudou-eleicao.html?fb_action_ids=639782102782552&fb_action_types=og.likes&fb_source=other_multiline&action_object_map=%5B566722553344034%5D&action_type_map=%5B%22og.likes%22%5D&action_ref_map=%5B%5D

Vídeo de Amilcar Brunazo Filho, especialista em Criptografia e Inteligência Virtual – http://www.youtube.com/watch?v=AKvI3AQvWVs&feature=youtu.be

Vídeo do Deputado Chiarelli – http://www.youtube.com/watch?v=_AfjR9w0lDw

Vídeo do Deputado Capitão Assumpção – https://www.youtube.com/watch?v=gQiJRwcfY2U

Fraude das urnas eletrônicas em Saquarema/RJ (14/12/12) – http://www.youtube.com/watch?v=LQRZlaA-kZg

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Legitimidade das Leis aprovadas durante o Mensalão – O debate “esquecido”

Mensalao

Não sou sequer bacharel em direito, porém, não é necessário ser um gênio, ou advogado, para efetuar os seguintes questionamentos: como ficam as leis federais aprovadas durante o esquema do Mensalão? São legítimas? Como saber em quais houve compra de votos?

Esse é um debate praticamente inexistente, no máximo o vejo em poucas páginas nas Redes Sociais. E olhe lá! Mas, por qual motivo o Governo não debate esse tema? Porque ele não é levado para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Procuradoria Geral da República (PGR) e/ou do Supremo Tribunal Federal (STF)?

Ora, todas as Leis aprovadas durante o período 2003 e 2005, período do Mensalão segundo o ex-deputado federal e presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) Roberto Jefferson houve a prática do Mensalão. Se é que ela não se arrastou por mais algum tempo (ou ainda existe), pois só a partir de 2007 que o Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou as “averiguações” ao acatar denúncia da PGR.

Bem, primeiro lembremos que o Governo Federal está nas mãos do PT, principal partido envolvido no escândalo, logo, não há interesse em mexer na questão. Medo de feder muito? Depois, as votações teriam que ser investigadas e caso houvesse confirmação de fraude, tais votações poderiam ser suspensas.

Caso o governo petista impedisse a anulação ficaria marcado por mais uma manobra política para legitimar a corrupção perpetuada pelo próprio partido, se não o fizesse, teriam que ser votados novamente tais Projetos de Lei, e em véspera das Eleições 2014.

Agora, adivinhem qual Projeto de Lei foi aprovado e sancionado no período citado? A Lei 10.836, de 09 de janeiro de 2004, que converte em Lei a Medida Provisória 132 de 2003. Popularmente conhecido como Programa Bolsa Família.

Segundo Roberto Jefferson, as mesadas de R$30 mil eram pagas aos deputados federais para votarem de acordo com a vontade do governo nos projetos de lei de seu maior interesse. O Programa Bolsa Família (PBF) é a menina dos olhos do PT, sem dúvida o projeto de seu maior interesse. Será que há a possibilidade de ter ocorrido fraude? Caso isso fosse confirmado, em véspera das Eleições 2014, o PBF correria o risco de ter que ser votado novamente? Sim! E se isso ocorresse, enquanto não houvesse definição da votação os beneficiários poderiam ficar um tempo sem os benefícios, o que seria péssimo para o PT duas vezes. Uma por deixar tais eleitores do voto de cabresto insatisfeitos e outra por ser próximo às Eleições 2014.

Mas seria ainda pior, pois se houvesse confirmação de fraude e o PT mantivesse a votação seria o “escancaramento” final de seu apoio a corrupção e ao Mensalão, caso fosse novamente a votação, seria a oportunidade perfeita para a oposição aprovar em massa o PBF, tirando do PT sua capacidade de incitar o medo de perder o benefício nos eleitores que o possuem caso esses votassem na oposição. Ou seja, não conseguiria mais utilizá-lo para disseminar o medo contra a oposição, um dos principais trunfos utilizados desde 2006.

No melhor cenário para o PT, caso não houvesse comprovação de fraude, ou ele conseguisse impedir uma nova votação do PBF, logo, outras leis cujas votações foram fraudadas deveriam ser sacrificadas para “limpar a barra” e isso atrapalharia a votação de outras essenciais ao projeto de poder do PT. A oposição, por exemplo, poderia atrapalhar os trabalhos que precisariam ser intensos e jogar a votação de projetos impopulares como o PL122/2006 da Senadora Marta Suplicy (PT/SP) que ataca valores tradicionais da sociedade sobre a pretensa desculpa de proteger uma minoria do constrangimento. Algo como “5% podem se sentirem ofendido/constrangidos, logo, ofenderemos 95%, para que 5% não se sintam ofendidos/constrangidos”. Ou do polêmico Marco Civil da internet, que facilita a censura na rede e estabelece um controle estatal silencioso.

Votar projetos impopulares, porem essenciais ao PT, em véspera de eleição, não seria bom para as pretensões do partido e de seus partidários.

A conclusão é que o debate acerca da legitimidade das leis aprovadas durante a existência do Mensalão e investigações sobre as votações não interesse ao PT, que desesperadamente quer evitar tal discussão. Não a toa, quando se fala em Mensalão vemos ataques da militância para censurar seus “opositores” pelos meios que forem necessários.

Este artigo pode parecer uma enorme teoria da conspiração à primeira vista, mas reflita um pouco e verá que se trata de lógica. Clique nas fontes e terá a confirmação de informações apresentadas. Você pode fechar os olhos para o que está claro à sua frente, ou aceitar a árdua tarefa de encarar a realidade e questioná-la.

Abaixo mais algumas PLs aprovadas no período:

PL 10.828 de 23/12/2033 que altera a legislação tributária federal (veja o nome abaixo do ex-presidente Lula)http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.828.htm

PL 10.697 de 02/07/2003 – Dispõe sobre a revisão geral e anual das remunerações e subsídios dos servidores públicos federais dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, das autarquias e fundações públicas federais, de que trata a Lei nº 10.331, de 18 de dezembro de 2001, referente ao ano de 2003 – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.697.htm

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Presidência da República – http://www.planalto.gov.br

PL 10.836 de 09/01/2004 (Programa Bolsa Família) – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.836.htm

Portal do Senado – PL 122/06 (Senadora Marta Suplicy – PT/SP) – http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=79604

InfoEscola – Mensalão – http://www.infoescola.com/politica/mensalao/

Secretaria de Relações Institucionais – http://www.relacoesinstitucionais.gov.br/

Folha de São Paulo – Jefferson denuncia mesada paga pelo tesoureiro do PT (06/06/2005) – http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u69402.shtml

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized