A questão Ucraniana: uma Guerra Mundial a caminho?

Barack-Obama-Putin-Ucrânia

Acompanho os movimentos dos envolvidos na questão ucraniana. Tanto a invasão da Crimeia, quanto a reação dos Estados Unidos e dos próprios ucranianos. Algumas coisas eu posso afirmar agora:

1 – Obama é um frouxo. Se fosse Reagan, por exemplo, o presidente russo, Vladimir Putin, pensaria no mínimo seis vezes antes de invadir a Crimeia.

2 – Sarah Palin estava correta quando afirmou (quase profeticamente), em 2008, que a conivência de Obama era um convite para que a Rússia invadisse a Ucrânia.

3 – A manutenção da Ucrânia sobre influência (domínio) da Rússia é de interesse também da China e dos países comunistas/socialistas pelo mundo.

A China declarou apoio à Rússia na questão ucraniana, mas por quê? Ora, Rússia e União Europeia brigam pela Ucrânia, pois ambos desejam abrir uma porta comercial para o outro lado. A UE quer uma porta de entrada no leste europeu e diminuir a influência da Rússia, enquanto a Rússia quer manter sua porta de entrada ao ocidente e mantê-la fechada à União Europeia.

No meio disso, interessa à China que a Rússia mantenha o controle da região, pois há acordos comerciais, militares e políticos entre os dois países que dependem dessa manutenção. A consolidação do poder russo na região é a próxima etapa para a expansão de tal poder aos outros continentes, principalmente a América.

A Ucrânia deseja expulsar de vez o ranço comunista e abrir-se para o mundo, enquanto a Rússia deseja impor o eurasianismo de Aleksandr Dugin, mentor intelectual de Putin, e manter o país fechado e dependente. Contudo, uma região da Ucrânia ainda deseja manter laços estreitos com a Rússia, sendo que nessa região o idioma predominante é o russo.

Lembrando-se do que ocorreu na Segunda Guerra Mundial, a Polônia já está em alerta, para evitar ocorrências como o “Massacre de Katyn”, quando forças soviéticas assassinaram mais de 20 mil oficiais poloneses e tentaram se livrar dos corpos na Floresta de Katyn. Os poloneses estão alerta e preparados para agir contra os russos se for necessário.

Não esqueçamos ainda da Coreia do Norte, que pode parecer “morta”, mas ainda possui armamento letal e pode se aproveitar do momento para atacar a Coreia do Sul, sua inimiga e aliada dos Estados Unidos.

Movimentações parecidas com a Grande Guerra? Talvez, mas não vejo a guerra estourar neste momento. Não é interessante para a Rússia entrar em guerra com os Estados Unidos agora, mesmo sendo o conivente e permissivo do Obama na presidência do país. Não é por acaso que a Rússia deu um ultimato às Forças Ucranianas para se renderem à meia noite de 03/03/2014, porém o prazo acabou e nada aconteceu.

A Rússia instalará bases militares em Cuba e Venezuela, logo, se entrar em guerra apenas após isso, terá uma vantagem estratégica muito importante, principalmente no que se refere a Cuba, que está “na cara” dos Estados Unidos. Nova crise dos mísseis? Provavelmente sim, mas o pior é que desta vez não é John Fitzgerald Kennedy, nem Ronald Reagan, o presidente dos Estados Unidos.

Inclusive, a atuação de Obama tem sido patética, sua reação mais viril foi ameaçar o boicote à reunião do G8 que ocorrerá na Rússia, qual a resposta de Putin? “Quem não quiser vir, que não venha”. Fora isso, Obama enviou John Kerry à Kiev (Ucrânia) para oferecer ajuda financeira de US$1 bilhão ao país, outro indício de que os EUA não acreditam em uma investida séria da Rússia, por enquanto.

Navios russos bloqueiam a passagem à Rússia via Criméia, mas isso não significa nada além de pressão dos russos para aumentar a tensão, na tentativa de pressionar EUA e aliados ocidentais a não impor sanções, nem isolar a Rússia diplomaticamente. Ou é só uma manobra para demonstrar força e nada mais.

Neste momento, sabendo que determinada região da Ucrânia é favorável aos laços estreitos com os russos e que outra região (que representa a maioria) é a favor da União Europeia, talvez vejamos a divisão da Ucrânia e o surgimento de outro país, ou “região independente”, mas, por enquanto, essa possibilidade não é discutida (ou pelo menos não há nenhuma informação que aponte o contrário).

Para a União Europeia seria até um bom negocia essa divisão, pois conseguiria a porta de entrada que almeja na região, enquanto a Rússia manteria uma porta aberta para o ocidente também, no entanto, não basta à Rússia manter essa porta aberta para o ocidente, se não conseguir manter fechada a da União Europeia ao oriente.

Essas são as prováveis opções, por enquanto, pois após a instalação das bases militares russas na América Latina é imprevisível o que acontecerá, mas é bem previsível o que pode acontecer.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Instituto Liberal /RJ http://www.institutoliberal.org.br/blog/situacao-na-ucrania-pura-especulacao/

Voz da Rússia – http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_03_03/MRE-russo-China-apoia-a-R-ssia-na-crise-ucraniana-1616/

Folha Centro Sul – http://folhacentrosul.com.br/geral/3820/russia-invade-varias-cidades-ucranianas-e-mundo-reage-a-possibilidade-de-uma-guerra

Terra Notícias – http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/russia-da-ultimato-para-forcas-ucranianas-se-renderem,529e34cc99484410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

Euronews – http://pt.euronews.com/2014/03/02/ucrania-tensao-na-crimeia-com-forcas-militares-olhos-nos-olhos/

IG – Último Segundo – http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2014-03-04/putin-houve-golpe-na-ucrania-e-russia-tem-direito-de-usar-a-forca-se-necessario.html

G1 Mundo – http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/03/russia-admite-debater-crise-na-ucrania.html

G1 Mundo – http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/03/navios-russos-bloqueiam-canal-entre-crimeia-e-russia-diz-ucrania.html

G1 Mundo – http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/03/navios-russos-bloqueiam-canal-entre-crimeia-e-russia-diz-ucrania.html

BBC – www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/03/140303_ucrania_poder_militar_rb.shtml

Anúncios

9 Comentários

Arquivado em Uncategorized

9 Respostas para “A questão Ucraniana: uma Guerra Mundial a caminho?

  1. Allan Souza

    A Rússia vai pegar a Crimeia de volta e ninguém vai fazer absolutamente nada. A Europa está numa crise tremenda e ainda depende muito da Rússia para realmente fazer alguma coisa. Sem o apoio da UE os EUA não peitam o Putin. Além do Bananabama os líderes Europeus neste momento são todos bananas! O Putin deve estar rindo à toa!

  2. f

    Porque vocês não deixam eles resolverem seus próprios problemas?! A própria população assim tem se manifestado.

  3. Reacionário de merda

    Caralho quanta bosta. Guerra mundial em 2014, onde todo mundo vende pra todo mundo, vai dormir.

    • Prova que é bosta, seu lixo. Comenta aí embasado em argumentos, fontes, história, fatos, dados, estudos, pesquisas e uma análise crítica, lógica e racional.

      Você é um incapaz de merda que vem aqui comentar na base do ad hominem, pois não possui capacidade intelectual e argumentativa alguma.

      Não tem o que falar e é um incapaz? Então vai dormir mesmo, que talvez nisso você seja bom.

  4. Marcos Oliveira

    otima matéria! é bem isso que esta acontecendo no mundo e poucos estão vendo,principalmente no Brasil, onde o povo só quer saber de copa do mundo,funk,novela e bbb , com a midia ja começando a ser controlada pelo governo,a unica coisa que faltou Roberto Lacerda foi comentar do comunismo que esta preste a acontecer no brasil e alguns paises da america latina em apoio a russia e china, tambem faltou comentar sobre a situação atual do oriente medio onde uma faisca pode jogar tudo para o ar (tipo Israel x irã ,india x paquistão e a briga por la é grande envolve muitos paises) mais show de bola grande matéria PARABENS!!!

  5. Muito bom o artigo como sempre!
    Na minha opinião, toda essa movimentação me lembra exatamente da Primeira Guerra Mundial, mas, também duvido que a guerra estoure. Obama não está interessado em intervenção militar

    Uma coisa incrível é ver como esquerdistas não apoiam a Intervenção Americana através de fundos, mas apoiam a intervenção militar com soldados e tudo mais da Rússia. Estranho né?

    Mas, pra falar a verdade, na minha opinião, o melhor seria nem a Rússia nem os EUA meterem seu nariz na Ucrânia. A crise é na Ucrânia. Uma intervenção militar de outro país em outro é uma clara violação da soberania desse país, na minha opinião

    Pra finalizar, tem muitos esquerdistas por aí tentando deslegitimar as manifestações ucranianas dizendo que são nacional-socialistas ucranianos que iniciaram tudo isso ou que eles estão fazendo tudo isso. Será que o sr. poderia fazer um comentário sobre essa questão. Ficaria grato.

    • Daniel, estou acompanhando essa questão das acusações sobre os nacionais-socialistas e escreverei sobre isso.

      Também sou contra intervenção de outro país, compartilho da sua visão de soberania nacional. Acho a intervenção legítima apenas se for solicitada pelos cidadãos deste país.

      Abraços,

      Roberto

      (P.S.: O “Sr” está no céu, diria meu tio, rs, pode me chamar de “você”, prefiro).

      • Allan Souza

        Não sou esquerdista, longe disso, mas no caso neste caso muitos ucranianos da Crimeia querem efetivamente deixar de fazer parte da Ucrânia.
        Neste ponto sou favorável à liberdade de escolha do povo. O plebiscito na Crimeia deve indicar que eles querem fazer parte da Rússia, daí acho que eles deveriam fazer o que a população local quer, sejam eles de esquerda, de direita ou do centro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s