A Direita brasileira e sua demanda reprimida

direita

Não resta dúvida de que há muito espaço para as mentalidades liberais e conservadoras no Brasil e que haja uma grande demanda reprimida por indivíduos que assumam tais posições na política, na mídia, na educação e na cultura.

Em 2013 vimos livros de autores liberais e/ou conservadores entre os mais vendidos, como “O Mínimo que você precisa saber para não ser um idiota” (de Carvalho, Olavo, Editora Record, Rio de Janeiro/RJ, 2013) e “Esquerda Caviar”, do economista Rodrigo Constantino.

Também houve a conquista de mais espaço nas grandes mídias, como a entrada do jornalista Reinaldo Azevedo, junto com Rodrigo Constantino (que também entrou para a equipe de colunistas do Blog da maior revista do país: a Veja, que já contava com Reinaldo Azevedo) e do jornalista e sociólogo Demétrio Magnoli no jornal Folha de São Paulo, que já contava com o filósofo Luiz Felipe Pondé.

Falando da Revista Veja, temos o compositor e cantor Lobão no time de colunistas, logo após conquistar enorme sucesso de vendas com seu livro “Manifesto do Nada na Terra do Nunca”, onde, principalmente, faz diversas críticas à esquerda brasileira, diversos ícones desta e sobre sua área de atuação. Também aproveitando o gancho de Veja, um de seus principais colunistas (desde 1999), Diogo Mainardi, entrou em 2012 para a equipe de apresentadores do programa dominical Manhattan Connection, transmitido pela Globo News (canal de TV por assinatura).

Todos estão situados à direita, sejam conservadores e/ou liberais. Essa expansão de formadores de opinião da “direita conservadora” e dos liberais resultou na atração de diversos leitores ávidos por entrar em contato com opiniões, posições e pensamentos dessas “escolas”, ajudando a desmistificar muito do que se fala sobre a direita.

Mesmo que ainda estejamos numericamente em desvantagem, e não me surpreenderá se em cada 10 formadores de opinião 8 forem esquerdistas, começa-se a notar a formação de uma minoria organizada da direita para combater a massa arrogante da esquerda. E bota arrogante nisso, pois enquanto a minoria precisa de organizar e estudar muito, ou seja, se preparar seriamente, a massa acredita que possui o monopólios de todas as virtudes e que somente o que pensa está correto, não se preocupando com essa preparação.

Logo, enquanto vemos indivíduos melhor preparados entre conservadores e liberais, na esquerda há a clara manifestação dos discursos emocionais, falaciosos e desprovidos de lógica e razão. Um grande exemplo disso é quando confrontamos os esquerdistas com fatos históricos, dados, pesquisas, estudos, fontes, lógica e razão e temos de volta a negação da credibilidade de toda fonte apresentada e de destruir a credibilidade do debatedor através de ataques pessoais ao invés de apresentação de argumentos para refutar o que foi exposto.  Quando tais táticas não funcionam e surgem as agressões diretas é que ficam ainda mais óbvias a falta de preparo e a arrogância dos esquerdistas e idiotas úteis.

Quando, por exemplo, ao defender os índices de Cuba e ser confrontado com os fatos de que já eram altos antes da revolução e que apesar de um pequeno aumento perderam muitas posições nos rankings das organizações que os medes, somado a apresentação de fontes que legitima tais dados, os esquerdistas não fogem ao comportamento citado.

Por esse comportamento e pela constantes agressões as liberdades individuais que a esquerda tem cedido mais espaço (ainda que não tão maior) às ideias de conservadores e liberais. E há a percepção da esquerda desse aumento do espaço para a direita e isso é fácil de notar quando reparamos nas reações da esquerda sempre que há aumento da visibilidade ou conquista de espaço na mídia de um conservador e/ou liberal. Bastou Reinaldo Azevedo entrar para a Folha de São Paulo e outros colunistas do próprio jornal fizeram ataques, o mesmo a Rodrigo Constantino que também entrou para a equipe. Bastou Lobão entrar em evidência e criticar a esquerda expondo suas falácias e vícios, para que Emir Sader escrevesse um artigo criticando o compositor, cantor e escritor, que respondeu com maestria. Há até blog dedicado a difamar o colunista da Veja, Diogo Mainardi, e cuja criação ocorreu após a entrada deste para o Manhattan Connection, do qual já participava da mesa de debates desde antes de 2010 quando ainda era na GNT e o jornalista morava em Veneza.

O que dizer então da apresentadora do SBT Brasil, Rachel Sheherazade, uma conservadora apresentando o principal jornal televisivo de uma grande emissora? Que absurdo! Pior ainda saber que ela chegou lá por mérito, algo que a esquerda odeia. No fim de 2013, rendeu votos de um esquerdista conhecido, Paulo Ghiraldelli Jr., para que em 2014 fosse estuprada.

Imagina então quando a mesma emissora, o SBT, contrata um liberal em ascensão na televisão, o comediante Danilo Gentilli, que terá um Talk Show nos moldes do que apresentava na TV Bandeirantes. A revolta com Gentilli já era grande por suas críticas públicas ao esquerdismo e suas sátiras sobre personagens como a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e outros tantos. Quando vazou a notícia sobre a possibilidade de contratação pelo SBT a revolta e desespero foram tantos que indivíduos da Militância em Ambientes Virtuais (MVA) do Partido dos Trabalhadores (PT), militantes pagos pelo partido para fazer propaganda e atacar “inimigos” na internet (normalmente utilizam perfil falso), denunciaram falsamente seu perfil no Facebook até que este saísse do ar. O perfil foi recuperado e blindado contra tais ações.

Ao serem questionados sobre o episódio com Gentili, os responsáveis pela cibermilitância e imprensa do PT mostram posições distintas. Enquanto o responsável pela imprensa, Geraldo Magela, afirma que pode ter sido uma ação isolada de determinado grupo, o responsável por essas ações, Alberto Catalice, afirma que Gentili é um difamador e que o PT é vítima de censura. Vale ressaltar dois pontos:

1 – Magela também disse que não é possível controlar essas coisas. Ora, Magela, como você tem um serviço que não conseguem controlar? Vai-me dizer que cuidam do partido igual o fazem com o país? Isso é absurdo. Não ter controle algum sobre os próprios funcionários.

2 – Catalice, por favor, me responda: como é sofrer censura em um país governado há 11 anos pelo próprio partido?  Quem censura o PT sendo que há diversos veículos financiados pelo Governo Federal e jornalistas, autores, atores, etc, em todos os lugares que são defensores do partido? Vai começar a pensar antes de falar a partir de quando? Ou você é desonesto intelectual mesmo?

Por fim, 2013 finalizou com o Globo News Painel tendo a participação só de conservadores e liberais para discutir justamente sobre o tema deste artigo. Participaram: Reinaldo Azevedo, Luiz Felipe Pondé, o sociólogo Bolivar Lamounier e o jornalista William Waack (responsável pela condução do debate)

Chamo a demanda de reprimida, pois por muitos anos houve sim repressão e censura aos autores, escritores, colunistas, jornalistas, enfim, personalidades ou não, indivíduos com entrada na mídia e visibilidade que assumissem posições conservadoras e/ou liberais. Tudo isso ocorreu através de campanhas difamatórias, sufocamento político e econômico de veículos midiáticos, ataques de militantes organizados, demonização do pensamento e manutenção e expansão de falácias de interesse da esquerda.

Há muito espaço para expansão e divulgação das posições, pensamentos e argumentos conservadores e liberais no Brasil e esse é um dos principais temores da esquerda, que é capaz de fazer qualquer coisa para impedir.

Por Roberto Lacerda Barricelli

Folha de São Paulo – http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/764994-diogo-mainardi-vai-apresentar-manhattan-connection-de-veneza.shtml

A Direita Brasileira – http://adireitabrasileira.blogspot.com.br/2013/08/lobao-detona-nulidade-emir-sader.html

Blog do Reinaldo Azevedo na Veja – http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ombudsman-da-folha-me-chama-de-cachorro-e-defende-que-se-assegure-um-bom-nivel-de-conversa-no-jornal-pode-contar-comigo/

Blog do Rodrigo Constantino na Veja – http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/tags/demetrio-magnoli/

Mídia Sem Máscara – http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/14817-machismo-e-misoginia-em-paulo-ghiraldelli-ou-uma-aula-de-filosofia-rortyana.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+midiasemmascara+(MSM)

Site do SBT – http://www.sbt.com.br/noticias/13496/Danilo-Gentili-assina-contrato-com-o-SBT.html#.UtdwU9KwIRk

Folha Política – http://www.folhapolitica.org/2013/12/danilo-gentili-diz-que-facebook.html

Blog Fora Diogo Mainardi – http://fora-diogo-mainardi.blogspot.com.br/

O bico do tentilhão – http://www.andreassibarreto.org/2013/12/programa-painel-com-bolivar-lamounier.html

Anúncios

19 Comentários

Arquivado em Uncategorized

19 Respostas para “A Direita brasileira e sua demanda reprimida

  1. Rafaeli Alves.

    Petistas revirem-se.

    • Walter Lopes Frota

      Lentamente mas com consistência os conservadores e/ou liberais começa a ter público! Isso é bom. Muito bom!
      A aceitação por uma parcela a cada dia crescente das ideias liberais e das ideias conservadoras aliadas ao desmonte e até à desmoralização da falácia esquerdista graças às redes sociais que, de certa forma, são mais democráticas, vem adquirindo visibilidade e se constituindo num campo interessante para novas ideias, novos escritores. É de se esperar que grandes obras comecem a pintar por ai. E é bom que isso aconteça. A hegemonia da esquerda nos meios de comunicação quer escrita quer falada ou televisada ainda é sentida. Há toda uma cultura nesse sentido, mas esperamos que dentre em breve tenhamos mais material para lermos e mais programas para assistirmos! Avante amigos!

  2. Temos muito a comemorar Barricelli! Esse ano vai ser melhor ainda. Espere pra ver.

  3. matheus

    Nao querendo ofender o autor do texto acima,mas daonde vc tirou q o demetrio e d direita?

  4. Joseph

    Podem escrever e falar o que vocês quiserem. Divulgar as suas mentiras por aí. E ao contrário do que vocês da direita dizem, sempre houve mercado para vocês desde que o mundo é mundo. Carlos Lacerda, Paulo Francis, Nelson Rodrigues. A direita na mídia não é novidade. É algo comum. O choro é livre! Podem bradar, ranzinzas fascistas que se disfarçam de “liberais”! Só não podem tomar o poder, principalmente por meio da força e da mentira, como vocês estão acostumados.

    • Joseph, quais mentiras?

      A esquerda prega o comunismo/socialismo como se nunca tivesse existido, sendo que existiu (a práxis provava isso irrefutavelmente) e deu errado, e nós somos os mentirosos?

      Me fale mais sobre como Stalin, Mao, Pot Pot e Fidel enganaram seus povos. E nós somos os mentirosos?

      Benito Mussolinji definiu assim o Fascismo: “Tudo para o Estado, tudo pelo Estado, nada fora do Estado”. Então, nos posicionamos contra o Estado e você nos chama de “fascistas”? Ou você repete o que escuta por aí como um papagaio e não tem o menor conhecimento do que é o fascismo, ou sabe muito bem o que é e não passa de mais um desonesto intelectual. Em ambos os casos, você é um mentiroso compulsivo e quer chamar aos outros de mentirosos?

      Está seguindo a máxima; “chame-os do que são”?

      Espaço na mídia para a Direita? Ok, me cite os vivos agora da Direita, quais estão em grandes jornais e lhe citarei os demais 99% que estão à esquerda e espaço muito mais amplo.

      Tomar o poder por meio da força? Certo, Stalin, Fidel e Mao o fizeram através do que mesmo? Você esqueceu do fato de que historicamente a esquerda é quem sempre tomou à força o poder? Ou vai me dizer que a Ditadura Militar era de “direita”?

      Só em meia dúzia de linha suas já consegui expor diversas mentiras, que moral você acha que tem para chamar os demais daquilo que acabo de provar que você é?

      Me fale mais sobre como a Coreia do Norte e Cuba não são repressivas e seus ditadores, digo, governantes subiram ao poder sem utilização da força. A esquerda está acostumada a tomar o poder à força, através de revolução.

      Então, antes de vir neste Blog com seu fanatismo patético e total falta de honestidade intelectual e conhecimento, vá estudar. Antes de chamar os outros de mentirosos, pare de mentir. E, principalmente, antes de dizer que a direita quer tomar o poder à força, deixe de ser idiota útil, igual aos da minha série (onde exponho inclusive esse seu discurso caricato), pois só consegue passar vergonha quando os fatos históricos vem à tona.

      Quem está acostumado a mentir, está ranzinza e espumando de raiva pelo crescimento do espaço da direita e em um texto minúsculo conseguiu contar mentira em cima de mentira, é você.

      Grande abraço,

      Roberto

  5. brunno marcondes

    Interessante que o autor desse texto fala do ódio da esquerda, mas em vários momentos se mostra raivoso, agressivo. Segundo, é comum na retórica da direita dizer que todos os países do mundo são de esquerda, todos os partidos, todas as ditaduras que já existiram… ou seja, a “verdadeira direita” é uma utopia que não pode ser refutada.

    • Raivoso e agressivo? Onde? Engraçado, se um esquerdista fala mal da direita e é agressivo tudo bem, mas se um direitista faz críticas á esquerda, ele é agressivo e raivoso?

      É comum na retórica de direita? Ok, então prove isso, onde estão seus argumentos embasados em fatos, histórica, lógica e razão? Só que fizestes foi falar o que lhe veio a cabeça nem apresentar prova alguma de nada e acusar o autor (eu) de “agressivo” e “raivoso”, sem em momento algum apresentar qualquer argumento que corrobore sua fala.

      Você está se olhando no espelho e acusando a direita de fazer o que a esquerda faz. Pois quem diz que “o verdadeiro comunismo não existiu” e vem com espantalhos como “Capitalismo de Estado” e “deturparam Marx” não é a direita. Que utiliza a retórica da negação para dizer que “socialismo e comunismo jamais existiram” não é a direita. Basta observar pessoas como Jean Wyllys, Lula, Frei Betto, Emir Sader e ler o que escrevem, esse discurso está sempre lá, como no discurso de idiotas úteis.

      Quem trata a própria ideologia como algo que jamais pode ser refutado é a esquerda.

      Portanto, se for para comentar, tenha um mínimo de honestidade intelectual e não tente colar à direita aquilo que claramente quem faz é a esquerda, ou serei obrigado a postar cada link da série “Metodologia do Idiota útil” com todas suas fontes, expor suas falácias e fazer-lhe passar vergonha para aprender que antes de falar besteira e tentar enganar os outros com uma retórica de erística baseada nos estratagemas de Schopenhauer é melhor ficar quieto.

      Abraços

      Roberto

      • brunno marcondes

        Um exemplo do que eu afirmei pode ser o seguinte: em uma de suas respostas vc diz que a ditadura militar não era de direita. Bom, de esquerda é que não era, afinal o argumento utilizado para dar o golpe foi conter o avanço do socialismo no Brasil. Então pelo fato de haver um estado forte, vc imputa que não é direita. Logo, nenhuma ditadura será de direita, pque em todas haverá um estado, independente da política econômica adotada por esse estado e o fato deste servir claramente aos interesses da burguesia industrial, oligarquias rurais e setores conservadores. Segundo, em relação à metodologia do idiota útil, não obrigado, eu dispenso. Existem vários manuais de como refutar os argumentos de Olavo de Carvalho, mas eu tudo não passa de estratégia de retórica, não acrescenta nada ao debate. Terceiro, não venha querer me intimidar e nem desqualificar meu discurso: Platão já revelou essa estratégia retórica em seu diálogo, “Górgias”, ou seja, é estratégia muito antiga. Obrigado pela atenção.

      • A Ditadura não era de direita. Agora, você dizer que não era de esquerda porque combatia o socialismo demonstra sua ignorância quanto às ideologias de esquerda.

        Te intimidar e desqualificar seu discurso? Basta deixar você falar que seu discurso já está desqualificado de tanta besteira que você escreve.

        Primeiro, conservadorismo é de direita e admite a existência do Estado, logo, ao você dizer que só porque haverá um Estado “então você quer dizer que não é de direita” mostra o quão intelectualmente fraco é seu argumento.

        Os liberais são adeptos do Estado de Direito, logo, também admitem a existência do Estado.

        Não és estratégia retórica, mas um aviso. Você ainda não apontou nenhum fato, não apresentou nenhuma fonte, não citou nenhum dado, estudo ou pesquisa e seus argumentos se baseiam na sua negação de que haja outras ideologias de esquerda além do socialismo.

        Seu discurso anterior já demonstrou sua erística velha e mal acabada de imputar a terceiros o que a esquerda faz e ficou ainda mais claro ao agir exatamente de acordo com esse manual da esquerda, que no seu comentário anterior você imputa à direita, sendo pego em flagrante contradição. Mas duvido que você tenha percebido isso.

      • brunno marcondes

        Só retificando meu último post: quando escrevo ” Existem vários manuais de como refutar os argumentos de Olavo de Carvalho, mas eu tudo não passa de estratégia de retórica, não acrescenta nada ao debate”, eu fiz referência ao fato de que existem na internet vários manuais de como refutar um esquerdista, como refutar Olavo de Carvalho… mas ao meu ver, pelo que já li, também não trazem argumentos sólidos, bem fundamentados, reduzidindo-se ao debate de ideologias: se sou de esquerda vou ridicularizar vc, se és de direita vc me ridiculariza. Dificilmente se debatem idéias, o que seria muito mais proveitoso para o esclarecimento da população, no sentido de Kant.

      • Você se mostra adepto desses manuais ao querer imputar a falácia da negação (no caso dos esquerdistas, negarem a existência do comunismo no mundo, o que fazem em todo debate) e dizer que a “direita” que nega a existência de governos direita, sendo que neste mesmo Blog você pode verificar a postagem de dados sobre governos de direita pelo mundo, principalmente através das menções ao Index Of Economic Freedom.

        P.S.: A ditadura brasileira adotou a linha keynesiana. E, se você não sabe, keynes fundou o que se conhece como “social-corporativismo” (um ideologia de esquerda) e é o pai do intervencionismo.

        Então, recomendo que estude sobre as políticas da ditadura, antes de falar que era de direita ou de centro.

  6. brunno marcondes

    Lamento amigo, mas tenho de discordar de vc (respostas nos comentários): a ditadura era de direita. Vc está analisando apenas o fator econômico (supondo que seus argumentos estejam corretos), mas as forças políticas que apoiaram o golpe eram sim forças conservadoras e de direita em grande parte (ver por ex. Boris Fausto, “O Brasil Republicano” e Antonio Pedro, “Historia da Civilização Ocidental”). O jornalista Caio Blinder fez essa afirmação no Manhattan Connection de ontem. A ditadura foi sim de direita, embora a direita queira negar esse passado inglório.

    • 1 – O Regime Militar adotou uma fórmula econômica Keynesiana (de esquerda)

      2 – Houve cerceamento da imprensa em determinado nível (sendo que obrigatoriamente para dizer que é de direita, logo, conservador ou liberal, deve-se ser a favor da Liberdade de Expressão e de Imprensa, entre outros fatores).

      3 – O Regime Militar expandiu o Estado, sendo que a direita é a favor da diminuição do Estado

      4 – O Regime Militar fechou o mercado, sendo que a direita é necessariamente a favor do Livre Mercado

      Você ignora que para a direita (conservadores e Liberais) o mercado funciona como motor do desenvolvimento econômico e social, através da geração de riqueza e distribuição de renda via empregos, empreendedorismo, etc.

      O Regime Militar foi, no “máximo”, de Centro nas questões sociais e de esquerda keynesiana nas questões econômicas.

      Quem tem um passado inglório que vivenegando é a esquerda, com regimes como URSS, China Maoista, Pol Pot no Camboja, Cuba, Coreia do Norte (esses são presentes ainda), Hitler na Alemanha Nazista, Mussolini na Itália Fascista, Salazar, Franco… Os regimes de esquerda mataram aproximadamente 200 milhões de pessoas no século XX, mas a esquerda nega que tais regimes eram de esquerda, apesar de possuírem todas as características sociais, políticas e econômicas de esquerda.

      E você me vem falar de quem “A ditadura foi sim de Direita (em tom de quem acha que afirmando sem argumentar e expor qualquer fato que corrobore a opinião, deve ser entendido como dono de uma verdade absoluta), embora a direita queira negar esse “passado inglório’ “. Mais inglório que a esquerda, ninguém conseguiu, consegue ou conseguirá.

      • Brunno

        Caro amigo: primeiramente obrigado pela atenção. Com todo respeito, mas continuo discordando. Veja bem:
        No seu argumento vc diz: “2 – Houve cerceamento da imprensa em determinado nível (sendo que obrigatoriamente para dizer que é de direita, logo, conservador ou liberal, deve-se ser a favor da Liberdade de Expressão e de Imprensa, entre outros fatores”).
        Perceba que vc adota um argumento que automaticamente imputa que, se houver censura, então é de esquerda. Logo, nenhuma ditadura será de direita, pois em quase todas vai haver censura. Considero equivocado esse ponto de vista. Veja, por exemplo, o argumento do professor Mario Antonio Guerreiro, da UFRJ, que é inclusive membro do INSTITUTO LIBERAL DO RJ, (para que não digam que se trata de um autor esquerdista):
        “A democracia é um tipo de regime político contrastando com o totalitarismo, ao passo que são questões de natureza econômica um sistema dirigido totalmente pelo Estado, um sistema capitaneado pela livre iniciativa ou um sistema misto com a participação da livre empresa e do Estado, com maior ou menor a predominância de uma ou de outro.
        O regime misto é atualmente o mais frequente em todo o mundo, juntamente com a maior ou menor participação da livre iniciativa. Segundo penso, é perfeitamente exequível, ainda que não seja desejável, um regime totalitário de esquerda ou de direita acoplado a um sistema econômico marcado pela predominância da livre empresa.
        O Chile de Pinochet tinha uma economia de livre mercado, mas era uma ditadura de direita. A China de Deng-Chiao-Ping deu continuidade à ditadura de esquerda de Mao-Tsê-Tung, mas parece ter adotado o modelo chileno, fazendo as devidas adaptações. Deu lugar a uma economia de mercado, principalmente em cidades do litoral como Beijing e Shangai”. O link é o seguinte: http://www.imil.org.br/artigos/no-faz-mais-sentido-se-falar-em-direita-esquerda/
        Quer dizer, é possível sim um regime autoritário, que adote censura, e de direita, como fica claro no argumento do autor. Ao mesmo tempo o referido autor deixa claro que seria possível um regime misto, “com a participação da livre empresa e do Estado, com maior ou menor a predominância de uma ou de outro”, o que parece ter sido o caso da ditadura brasileira, que em muitos setores, como no caso da saúde, adotou o modelo do privilegiamento do produtor privado (ver BRAVO (2008), “Política de saúde no Brasil”, no livro “Serviço Social e Saúde”.
        Perceba que eu não estou, como vc disse, “afirmando sem argumentar”, estou sim expondo os argumentos e citando fontes.
        Agora concordo com vc ao dizer que a esquerda possui também um passado inglório no caso das ditaduras de Stalin e Mao, por exemplo, e que merecem ser criticadas, com certeza.
        No mais, embora possa discordar, respeito seu ponto de vista e agradeço novamente pela atenção e oportunidade de debater.

      • Prezado Bruno.

        Uma Ditadura que adere ao Keynesianismo, ou ao desenvolvimentismo, não pode ser considerada de direita. Conservadores e Liberais são a favor da Liberdade de Expressão, mas acima disso, entendem que há direitos naturais acima do próprio Estado: Vida, Liberdade e Propriedade. Um governo que não respeite algum desses direitos, seja no plano econômico ou social, e o Regime Militar o fez nos dois, simplesmente não pode ser considerado de direita. Com muito esforço, podemos considerar de centro ou de centro-esquerda.

        Agora que expôs argumentos e citou fontes, posso citar também as minhas:

        1 – Ricardo Gomes: palestra da II Conferência EPL/Sul – Vida, Liberdade e Propriedade (vídeo disponível em breve e postarei aqui).

        2 – Livro – A Ditadura Militar e os Golpes dentro do Golpe – Carlos Chagas – http://livraria.folha.com.br/livros/historia/ditadura-militar-golpes-dentro-golpe-carlos-chagas-1221973.html

        3 – Neste site eles explicam melhor como o Regime Militar só utilizou políticas liberais durante o governo Castelo Branco, presidente que ao anunciar que convocaria eleições, foi assassinado pelos próprios militares: http://visaopanoramica.net/. Também explica como o Keynesianismo tomou conta daquele regime depois de Castello e não é de direita.

        Também pode ser Russel Kirk e Os Dez princípios conservadores e ler As seis lições, de Ludwig von Mises, economista austríaco e liberal.

        No mais, grande abraço e obrigado pela possibilidade de um debate honesto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s