Livre iniciativa expõe a ineficiência do modelo comunista em Cuba

cubamuro

Bastou a iniciativa privada e livre mostrar que é melhor que o Estado e expor o quão defasado e ineficiente é o modelo comunista, para Raul Castro sufocar o quanto antes o modelo que se desenvolve escondido na Ilha Prisão.

O ditador cubano Raul Castro mandou fechar todas as lojas de roupas importadas e os cinemas privados de Cuba declarando tais empreendimentos como “irregulares”, pois estão licenciados para “outras atividades” que não são as exercidas (que inclusive são proibidas à iniciativa privada segundo Raul). E não só as lojas de roupas importadas foram alvo de Raul, pois todos os negócios de venda de produtos importados também receberam a mesma ordem. Até esquerdistas apoiadores do regime castrista assumiram o retrocesso de tal ordem.

O escritor e jornalista cubano Leonardo Padura Fuentes disse que essas medidas não afetam apenas os comerciantes declarados como “ilegais”, mas principalmente o povo cubano que encontra nessas lojas artigos variados de qualidade superior a preços inferiores aos praticados no comércio estatal.

Qual a novidade? É óbvio que na livre iniciativa privada os produtos e serviços são mais baratos e de melhor qualidade, pois há a necessidade de concorrer pelos consumidores e isso ocorre com as lojas “ilegais” na Ilha dos irmãos Castro.

Mas o que chama a atenção é o desenvolvimento de cinemas privados “clandestinos” que possuem tecnologia 3D que não existe nos “grandes cinemas estatais”. Mais uma prova de que a livre iniciativa (privada) supre melhor as necessidades dos consumidores do que o Estado. Enquanto os cinemas estatais estão sucateados, os privados (que são feitos nas casas das pessoas) possuem tecnologia 3D e passam filmes atuais. Os aparelhos normalmente chegam através de parentes e/ou amigos do exterior que os enviam ou por “mulas” que os contrabandeiam para Cuba.

Além disso, os cinemas estatais são mais caros, além de inferiores, enquanto o privados que concorrem pelos consumidores possuem qualidade e preços menores.

Mas no caso dos cinemas não é apenas o fato de os privados escancararem a ineficiência e alto custo sem benefícios do serviço estatal que faz Raul Castro utilizar uma suposta “irregularidade” para ordenar o fechamento. O cinema é uma poderosa (se não a principal) “arma” de comunicação em massa para propagandear as “maravilhas do regime comunistas”.

A Alemanha Nazista e a Rússia Stalinista, entre outros regimes nefastos, utilizaram o cinema com tal finalidade, investindo pesado na produção de filmes e programas que enaltecessem as falsas qualidades desses regimes. Imagine filmes propagandeando “as maravilhas do Nazismo”, ou “a pessoa magnífica que é Stalin”? Por incrível que pareça, esses filmes, programas, etc; convencerem milhões de pessoas de que os regimes e seus monstruosos líderes eram a primeira maravilha do mundo; depois que vinham as outras sete, claro.

Cold-War-Propaganda-22

Após a Segunda Guerra Mundial, ou A Grande Guerra, 1.200 filmes produzidos na Alemanha entre 1933 e 1945 foram confiscados pelos aliados, dos quais a maioria foi liberada sem restrições a seguir, alguns com cortes e 40 permanecem até hoje como “filmes restritos”. O Ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels, foi peça importante nesse esquema de utilização do cinema para enaltecer o nazismo e convencer as pessoas de seus ideais.

nazismo-propaganda

O próprio Estados Unidos utilizou muito o cinema e a propaganda durante a Guerra Fria para manter o povo e principalmente o ocidente e países “amigos” convencidos de que o sistema americano era o ideal e que o comunismo causaria ruína (o que realmente ocorreu com o colapso da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas no final dos anos 80).

Cold-War-Propaganda-6

Mas voltando a Cuba, imagine só se o povo descobrir que há “maravilhas” as quais não conseguem acesso devido aos interesses da Ditadura Castrista? Muito perigoso! E se começarem a fazer algo absurdo e inconcebível como questionar o governo? Isso não será permitido, nem tolerado, na Ilha Prisão.

As salas de jogos de computação também foram proibidas, também por serem importados e ter qualidade superior a estatal. Mas falar delas seria repetir tudo que já falei do comércio privado de qualidade superior e preços menores, atacado por Raul Castro antes que fosse tarde demais.

O que dirão agora os defensores ferrenhos da Ditadura Castrista que atacam veemente a livre iniciativa? Qual a desculpa intelectualmente desonesta da vez?

Por Roberto Lacerda Barricelli

Fontes:

Exame – Cuba proíbe cinemas 3D privados e venda artigos importados – http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/cuba-proibe-cinemas-3d-privados-e-venda-particular-de-artigos-importados

UFBA – Guerra, cinema e propaganda – http://www.oolhodahistoria.ufba.br/o3rafael.html

G1 Mundo – Cuba fecha cinemas improvisados e lojas de roupas importadas (02/11/2013)- http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/11/cuba-fecha-cinemas-improvisados-e-lojas-de-roupas-importadas.html

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s